A Estátua de Sal – As Tendências da Análise Técnica

Professor Metafix

No Pentateuco de Móises, encontramos metáforas escritas para ensinar o povo judeu como se comportar naquela mundo árido e sem muitos recursos naturais. Diz a Bíblia que havia duas cidades muito pecaminosas, Sodoma e Gomorra. Deus avisou a Lot para sair daqueles sítios, e adiantou para ninguém olhar para trás. A mulher de Lot desobedeceu a ordem divina e se transformou numa estátua de sal.

O mercado não tem tanto poder para nos transformar em estátua de sal, mas pode petrificar nossas operações quando teimamos em operar contra a tendência apesar de reconhecer os riscos. Testamos a sorte e depois olhamos para trás procurando alguma formação para explicar nossa teimosia. A tragédia se repete e ficamos sem resposta.

A Natureza pode ser tão ingrata que não dá o direito de culpar os outros, mesmo assim, diferente da mulher de Lot que não pode reclamar, aproveitamos o velho costume de procurar por bodes expiatórios. Não faltam vítimas; culpamos as falhas dos indicadores, a ganância dos grandes especuladores e as mudanças repentinas de políticas econômicas, mas esquecemos de examinar nosso desejo de ganhar sem a confirmação dos números.

Muitas vezes, preferimos palpites e ouvir os gurus de previsões imprevisíveis do que olhar para frente seguindo a tendência. Isto é, sabemos que quando o preço se encontra num suporte, o destino é uma resistência, mas nem isso conseguimos apreciar porque ficamos mudando de períodos gráficos procurando uma formação que nos agrade. Assim, terminamos operando de qualquer jeito, passando por cima dos sinais e não vemos a direção geral do preço.

Não devemos culpar os preços e nem tão pouco outros operadores quando erramos no longo prazo. Às vezes acertamos no curto prazo, mas perdemos quando demoramos a fechar uma posição. Deve-se lembrar de que raramente erramos quando a tendência é forte, e fazemos uma compra ou uma venda seguindo a direção geral dos preços. Podemos até usar os indicadores para melhorar os pontos de compra e de venda, mas não devemos jamais trabalhar apenas com as pequenas mudanças ou inflexões que naturalmente ocorrem dentro de uma tendência de longo prazo. Todos os movimentos menores devem ser alinhados com os maiores.

Muitas vezes, acertamos temporariamente, mas ficamos posicionados por mais tempo e perdemos o que ganhamos no curto prazo, graças a ganância sem lógica. Assim, culpamos as mudanças que vieram depois, mas esquecemos de olhar pra frente para a direção indicada pela tendência. Preferimos examinar as mudanças curtas sem analisar as expectativas longas. Ficamos olhando para trás e não vemos o que vem pela frente. As pequenas mudanças podem contrariar as grandes. As divergências são visíveis mas exigem paciência para operar alinhado. 

Infelizmente, quando a tendência não agrada, olhamos para os movimentos menores. Isso é perigoso, pois muitos movimentos indicam compra, por exemplo, mas violam a tendência. Mas quando nosso desejo de ópera é forte, a mente modifica as formações gráficas para satisfazer nossos desejos. Esquecemos de que os movimentos menores são apenas inflexões passageiras dentro da tendência maior, e nos arrastamos arrependidos procurando por bodes expiatórios. Infelizmente, depois que a mente fixa uma imagem ou uma crença, fica difícil de concordar com os números na tela. Dizem que o desejo cega e as crenças se petrificam como o sal do deserto mental.

 Portanto, lembre-se de que todas tendências de alta, independente do intervalo usado, começam num suporte e terminam em alguma resistência futura. Precisamos antecipá-la sem olhar para trás. Por outro lado, olhando o gráfico, podemos ver de onde os preços vêm e para onde eles vão! Este vai e vem esconde os lucros e realça os riscos.

Destarte, as tendências de um minuto são breves e, à medida que aumentamos o intervalo, os preços demoram a chegar à uma resistência ou a um suporte, e podem até divagar no meio da trajetória gerando muitas tendências de intervalos tão pequenos que vale a pena arriscar. Assim, devemos operar respeitando o mercado como um todo e devemos reconhecer que as tendências longas são como bonecas russas, dentro delas existem um conjunto de tendências menores.

Obedecer a tendência, como recomendava Charles Dow, significa acompanhar e respeitar todos movimentos sem se virar para trás e sofrer das incongruências dos movimentos e da ira do mercado. Boa sorte!

Prof. Metafix, Wisconsin 12 de dezembro de 2021

Professor Metafix

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Próximo Post

Reta final do ano com decisões de Juros dos EUA, UE e Reino Unido

Mercado doméstico e global com altas expectativas para as decisões das autoridades Americanas e Europeias. Fim de ano quase na reta final, mercado desaquecendo. Ductor Marcus Pode parecer loucura ao olhar hoje o Indice Bovespa nos 107.000 pontos e ver estudo de grafista falando do IBOV podendo chegar nos 140.000pts. Olhando pelo diário isso […]
 data-srcset data-srcset