Os Ciclos dos Preços Ações Opções Análise Técnica Investimentos Bovespa: análise técnica, como investir na bolsa de valores (Bovespa)

Os Ciclos dos Preços

Professor Metafix

Os Ciclos dos Preços

Quem opera com gráfico de linha no mercado financeiro percebe, sem muito esforço, que os preços variam formando suportes e resistências. Apesar dessas mudanças serem aleatórias, é notável a consistência desse comportamento. Além disso, é interessante que os suportes e as resistências aparecem em todos períodos escolhido para analisar os preços. Eles aparecem em gráficos diário, de uma hora e até de minutos. Este resultado depende das forças de ação e reação bastante peculiar na física e representado na economia como lei de oferta e procura.

Quando colocamos um oscilador para diminuir as vibrações, descobrimos que os movimentos se comportam como ciclos concéntricos; cada movimento pode ser subdividido em outros menores sem perder a configuração herdada da lei da física. Isto é, todos movimentos geram ação e reação que representam mudanças entre as forças de oferta e procura e, por isso, estão presente em todos momentos independente do período escolhido. Os maiores ou de duração longa se desdobram em outros movimentos menores. E estes se encaixam nos maiores como se fossem bonecas russas. Dada a consistência desse padrão, é aconselhável se aproveitar os suportes e as resistência para operar. Eles são muito menos incertos do que os palpites de colegas ou os de nossa imaginação.

O encaixe de movimentos menores dentro dos maiores também permite se operar escolhendo a congruência entre os ciclos. Isto é, quando plotamos um movimento medidos em períodos de uma hora, notamos que existe ação e reação, e o mesmo acontece quando escolhemos qualquer outro período. Quanto maior o período, maior o número de alta e baixa quando visto com gráficos de períodos mais curtos. Assim, quando deixamos uma posição aberta por muitos dias e a observamos com gráficos de uma hora, aparecem muito mais suportes e resistência do que no gráfico diário.

Os suportes e resistência não são regulares e nem dão garantias, mas podem ser usados como apoio psicológico. Os preços mudam aleatoriamente. Isto é, não tem a certeza cartesiana da matemática, mas a probabilidade estatística de acontecer é tão alta que dão confiança para quem se orienta com eles.

Todavia, sabemos que, em qualquer negócio, podemos lucrar quando compramos por um preço e vendemos por algum preço maior, ou vendemos por um preço e compramos depois por outro menor. Infelizmente, essa simples façanha é psicologicamente difícil. Mas pode ser fácilitada quando obedecemos regras congruentes com a lógica dos movimentos. Trata-se de um milagre muito simples; ele apenas exige que cada operador tenha paciência para esperar o rompimento desses pontos.

É importante acompanhar as ações e reações que caracterizam todos movimentos de preço. E, como dito, o operador pode operar com movimentos curtos ou longos de acordo com o nível de paciência pessoal. Portanto, a consistência desses movimentos representa um forma simples para se controlar a emoção num ambiente de incerteza.

Depois de passar anos estudando, analisando e operando com ações, moedas e commodities, descobri como José do Egito, que os preços de todos produtos obedecem a ciclos de alta e baixa provocados pelas forças de oferta e procura. Isto é bastante lógico; os aumentos e quedas nos preços representam o interesse dos demandantes e ofertantes. E como a força dos ofertantes e demandantes pode mudar sem aviso, as altas e baixas se alteram com o tempo. Daí o sentido aleatório das mudanças; pois, a única variável que temos certeza é o tempo.

A constatação de que existem suportes e resistência dentro de todos períodos escolhidos para analisar os movimento de preço é de fundamental importância. Só assim podemos operar sem medo de errar dentro de qualquer tempo escolhido, pois esses movimentos tem começo e fim.

Esse comportamento de preços pode ser comprovado tanto pela observação cuidadosa, como pela lógica das leis da física, de estatística e a dos fractais de Benoit Mandelbrot.
A lei da física mostra que qualquer ação gera uma reação; a lei de regressão mostra que os preços variam pra cima e pra baixo, mas convergem para uma média; e a lei dos fractais corrobora com as duas primeiras, mostrando que um evento se divide em muitos outros menores. Em todos casos, os movimentos maiores contém vários movimentos ainda menores dentro deles. Quando um movimento grande for de alta, as ondas menores e de alta dentro dele, são mais numerosas ou são mais fortes e mais longas do que as ondas ou movimentos de baixa. Este comportamento é bastante importante para quem deseja operar com sucesso, basta que se oriente com um ciclo maior e opere com os movimentos menores obedecendo aos dois, num processo que chamo de alinhamento automático.

Em economia existem teorias e ideias sobre os ciclos de negócio representados por ondas de crescimento e recessão. Expansão e retração dominam toda discussão acadêmica. José do Egito foi o primeiro a observar o problema de abundância e escassez de alimentos no velho Egito. O indicador dele era o nível das águas do rio Nilo. Na modernidade de hoje, precisamos de outros indicadores para poder entender a origem da expansão e a causa das retrações. Esse entendimento é a chave para se combater desemprego e gerar estabilidade nos preços.

Entretanto, em finanças queremos entender movimentos específicos, dos preços de ações, de moedas e de commodities para poder lucrar com as oscilações de cada um. Cada linha de produto tem um comportamento próprio e, às vezes, incongruente com o ciclo da economia como um todo, mas isso é um fenômeno passageiro. Na maioria das vezes, estão alinhados entre si e com a economia.

Para negociar com esses produtos com sucesso, basta obedecer a tendência e alinhar com ela, o ciclo desejado. Determinado a configuração, decide-se pela compra ou pela venda. E, como dito antes, compra-se por um preço e vende-se por outro maior, ou vende-se por um preço e compra-se por outro menor para extrair algum lucro.

No próximo artigo, vamos demonstra esse comportamento utilizando gráfico.
Prof. Metafix, Wisconsin, 27 -9 - 2016

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Sua mensagem (opcional):
Nome: Seu Email: (não será Publicado)
Site: (opcional)
Nofiticar por e-mail novos comentários neste tópico.

 
Publicidade

Publico este de modo que possa ser útil a quem quiser saber mais sobre o tema. O assunto é complexo, mas vou tentar colocar de forma breve, mas extensiva a todos interessados.

A frase de Charles Dow, “a tendência é tua amiga”, definiu para sempre como se deve operar num mercado de movimentos aleatórios ou incertos. Infelizmente, muitas vezes, a tendência do mercado contraria nosso desejo de operar a qualquer momento, como se o mercado estivesse sempre favorável a nossa pretensão de comprar ou de vender...

Quem opera o mercado financeiro e usa gráficos para analisar ativos, sabe como é frustrante determinar a direção dos preços. A confusão emana do desejo de examinar os gráficos em diferentes períodos. Sabemos que um gráfico visto com velas de um determinado tempo, pode indicar uma direção diferente daquela com velas de outro período...

Segundo o velho ditado americano, existem vinte maneiras para se esfolar um gato. Na bolsa de valores, existem muitas maneiras para se acertar a direção dos preços, algumas são mais lógica do que outras e todas ajudam a ganhar dinheiro na compra e venda de ações. E para complementar com outro adágio, já que está na moda...

Orientações de como calcular o imposto de renda para operações em bolsas. Isenções, forma de cálculo, o que é considerado ganho, o que pode ser abatido...