Semana de atenção — Varejo volta a reagir mas bancos arrefecem

TradingView

Semana de poucos drivers, mercado de varejo volta a reagir com otimismo, enquanto setor de Petróleo e Bancário vem arrefecendo. Confira os analistas do TradingVIew.

Barbeiro Investidor

No topo das mais negociadas, uma das queridinhas do mercado, ações Magazine Luiza sofreram um grande impacto tanto nos resultados quanto na cotação. Eis o motivo de atrelar dados fundamentalistas a análise técnica.

Nesse exato momento vemos seu preço margear os mesmos valores do início da pandemia, quando todo o mercado caiu histericamente. Mas bastaram alguns poucos meses para sua cotação retornar a escalada de alta, e após EBITDA e Luc. Liquido apresentarem resultados melhores.

E o ponto é que nessa alta vimos o preço chegar na casa dos 28,oo em novembro. Quando no segundo semestre do ano passado ela volta a cair, pois vem sofrendo com resultados insatisfatórios. Se ela apresentar bons resultados daqui pra frente e o mercado aceitar isso bem podemos ter uma janela de médio prazo para operarmos visando o topo dos 28,oo.

Eu particularmente acho o varejo complicado para carregar no longo/longuíssimo prazo, mas a médio prazo tenho perspectivas de poder realizar um lucro com um swing trade.
Pode-se esperar as médias virarem para cima e entrar grande volume comprador para agir com prudência e um sinal de compra se confirmar se cruzar o ponto de pivô. Mas também há possibilidade de entrar agora com um bom gerenciamento de risco. (Mais ideias sobre MGLU3).

Leo Senger

Cotação ITSA4 uma queridinha dos holders, mas que em 2021 abalou um pouco a fé dado o tamanho dos seus dividendos, pode estar construindo uma trajetória para testar seu All Time High (ATH). Em 2022 fez pernada de alta com correção em 61,8% de fibo, pivotou e agora está na segunda pernada. Por projeção de Fibonacci, 100% do movimento, levaria ela para a região de R$ 11,20 (alvo no gráfico), combinando com dois topos de 2021. Pode ser que depois de uma 3ª vez nessa região, os preços consigam passar e seguir uma trajetória para o ATH. Porém no curtíssimo prazo há dois fatos técnicos preocupantes: divergência dos preços e índice de força relativa (IFR) no diário e a região de fechamento do candle semanal. Além de que no longo prazo, olhando para médias semanais, mesmo elas estando alinhadas (curta > média > longa), a trajetória nos últimos 2 anos incomoda. Algumas vezes o preço trabalhou abaixo da média de 200 do semanal e uma 3ª pode encaixar. Sim, parece que temos um cenário binário: preços podem conseguir passar os topos de 2021 e ir para o ATH ou recuarem e as médias cruzarem para baixo.

Por isso caso os preços recuem de onde estão, dada a divergência e médias, gera algum desconforto a região destacada como “oportunidade”. Em um mundo perfeito os preços já deveriam ter batido na região dos R$ 11,20, para depois recuar. Por outro lado não vivemos em um mundo cartesiano, pelo lado da ordenação, é possível sim que um recuo seja uma oportunidade. Temos o bom momento da bolsa brasileira e cabe lembrar que esta ação também é uma das queridinhas para venda coberta (posição comprada em ações e vendidas em opções de compra “calls”). E a venda coberta permite alguma proteção, para quem é experiente na operação, caso houver alguma derrapagem nas cotações (não pode derreter).

Cito também o lucro líquido de R$ 12 bilhões em 2021 (68% maior que 2020), ROE de 19,9% a.a. em 2021 (6,6% maior que 2020), e o seu portfólio de participações. As empresas que o compõe, tem mais chances de se beneficiarem do cenário econômico atual, do que o contrário. (Análises sobre Itaúsa).

José Renato CNPI-T

Após a rejeição de renovação da mínima e rompimento da estrutura de consolidação da PETR4, o ativo retorna para área de consolidação, esse movimento é interessante principalmente pelo descolamento da correção do BRENT, que esta em canal forte de baixa do intraday.

Pontos importantes para ativo é se manter na continuidade de alta até o R$34, 40 , como PETR4 não esta no ciclo de tendência de alta, pode ter realizações nesse último terço da consolidação por é ficar atento para não se posicionar de forma errada, em consolidações sempre existe muita volatilidade. O teste da região do R$31,36 e absorção da venda, mostra interesse da ponta compradora, esse é situação interessante para ter força na continuidade do movimento de alta. Não vejo pontos de entradas no meio da consolidação, possíveis oportunidades podem aparecer apenas nos extremos do ciclo da consolidação. (Mais sobre Petrobras).

WendelCL

Após romper a região do 76 (33,36) mostrando continuidade no movimento, o preço tende a fazer um novo teste na mesma região, agora como suporte (Até os 32,50+- seria aceitável). Essa correção pode ser saudável para seguir em busca do alvo mais acima.

Perceba que o Adx está acima dos 32 e com Didi mostrando venda falsa, porém divergência no IFR. Caso a rejeição do fundo anterior se confirme, ativo pode ir buscar a região dos 23 (36,27). (Veja o gráfico dinâmico).

Aluguel do papel (Var. últimos 5 pregões): -2,91%
Tempo Gráfico: Diário

Disclaimer: As análises aqui apresentadas são apenas estudos. Elas não são recomendações de investimento, nem de compra nem de venda, tampouco refletem a opinião do veículo de mídia na qual estão sendo divulgadas. São estudos direcionados a pessoas com conhecimento e experiência no mercado financeiro.

Nossos Autores: Barbeiro InvestidorLeo Senger CNPI-TJosé Renato CNPI-T 2704 e WendelCL.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Próximo Post

A tarefa do mercado agora é digerir a Ata do FOMC.

Apesar de reação momentânea no momento da ata do FOMC, mercado retornaram para os preços pré-noticia e fecharam próximos à esse preço, mas ainda em baixa. Para essa quinta-feira, cautela paira no ar. José Renato CNPI-T Depois de despencar míseros 80% da máxima R$22,51 para inacreditáveis R$ 3,00, as ações Via […]
 loading loading