Ombro-Cabeça-Ombro Invertido : análise técnica, como investir na bolsa de valores (Bovespa)

Ombro-Cabeça-Ombro Invertido

Ombro-Cabeça-Ombro Invertido (O.C.O.I.)

O que é, como usar e como analisar esse padrão gráfico da análise técnica (análise gráfica).

Na última lição começou-se a abordar a temática dos gráficos padrão. O gráfico analisado foi o gráfico «A cabeça e os ombros». Para este gráfico, tipicamente exemplificativo de um contexto de inversão de tendência, existe o seu simétrico. O gráfico «Cabeça e Ombros invertidos» (OCOI) ocorre numa situação de inversão de tendência em que o título passa de uma zona bearish a uma zona bullish. A cabeça e os ombros correspondem a mínimos da cotação do título. Geralmente, sempre que se atingem esses mínimos, o volume diminui, pois os vendedores não estão na disposição de vender os seus títulos a esse preço.

cabeça ombro cabeça invertido

Após o segundo ombro, quando a cotação do título quebra a linha de pescoço, o volume tipicamente aumenta. Os bulls tomam conta do mercado exercendo uma pressão compradora que leva à alta da cotação do título. O título entra então na zona bullish.

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Sua mensagem (opcional):
Nome: Seu Email: (não será Publicado)
Site: (opcional)
Nofiticar por e-mail novos comentários neste tópico.

Rafael comentou:

Excelente exemplo, achei muito bom bem explicado pelo menos para um iniciante como eu..

Parabéns..!!!


 
Publicidade

Considero o alinhamento automático a forma mais segura para entender o movimento dos preços das ações. No último artigo desta série prometi que usaria alguns gráficos para ilustrar essa metodologia. Alinhando os movimentos com os gráficos, podemos eliminar as contradições que muitas vezes ocorrem entre os movimentos de preços de períodos diferentes e enganam o operador.

A frase de Charles Dow, “a tendência é tua amiga”, definiu para sempre como se deve operar num mercado de movimentos aleatórios ou incertos. Infelizmente, muitas vezes, a tendência do mercado contraria nosso desejo de operar a qualquer momento, como se o mercado estivesse sempre favorável a nossa pretensão de comprar ou de vender...

Nesta nota vamos analisar como num dia de operação o investidor pode aumentar os ganhos num montante que daria inveja a qualquer robot dos “High frequence traders” – jogadores de alta frequência.

Existe uma condição atávica, relacionada com a evolução, que se manifesta naquelas decisões que são perigosas, independente de serem boas ou más. Segundo os neurobiólogos, o processo da evolução humana deu prioridade ao desenvolvimento do lado emocional porque, diante do perigo...

Esse indicativo pode nos chamar a atenção para algum ativo com boa formação de suporte ou resistência, criando possibilidades de compra ou venda.