Análise Top Down para Compra e Venda de Ações

|Professor Metafix|

Aos puristas do nosso vernáculo peço desculpas por usar palavras em Inglês, mas a análise top down já foi consagrada como a forma mais simples para se escolher o melhor momento para se comprar ou vender uma ação. Infelizmente, para se encontrar o melhor ponto de saída (venda) e de entrada (compra) de ações, precisamos desdobrar os intervalos gráficos fazendo uma análise de cima para baixo antes comprar e de baixo para cima antes vender. Não opere sem fazer esse teste!

O Erro comum ao compra e vender Ações

Muitos erram na hora de comprar uma ação porque entram muito cedo ou muito tarde; outros deixam de ganhar mais porque se apressam em sair e perdem o ponto ideal onde poderia ter lucrado mais. O medo e a pressa dominam na hora de comprar, e a ansiedade prevalece na hora de vender. Espero contribuir um pouco esclarecendo o que devemos fazer para domar esse comportamento e assegurar menos erros e mais lucro.

Antes de comprar ou vender ações precisamos de calma pois qualquer decisão sob emoção pode até dá certo mas, na maioria das vezes, dá errado. Isso é lamentável, pois podemos acertar sempre com um exercício simples; basta alterar os gráficos para verificar como os preços se comportam em todos períodos. Num intervalo longo, por exemplo, os preços podem aumentar e diminuir muitas vezes sem que o observador perceba. Por outro lado, os intervalos mais curtos mostram tantas mudanças que nem percebemos a direção ou a tendência corretamente. Assim, os intervalos longos escondem detalhes importantes e podem até provocar erros graves para quem deseja obter o máximo de lucro que o mercado oferece. Destarte, precisamos da tendência e dos suportes e das resistências escondidas nas inflexões de movimentos longos. E, dadas as limitações cartesianas do espaço, o único jeito de se descobrir esses pontos é praticando o exercício mencionado. 

O alinhamento dos Gráficos

Destarte, os gráficos longos servem de tendência, mas devem ser desdobrados em intervalos menores para se descobrir onde estão os suportes e as resistências de curto prazo. Muitas vezes, o gráfico de semanas ou meses cobrem intervalos que são comprimidos pelo espaço e, por isso, não mostram nem os suportes e nem a resistências. Estes pontos só serão visíveis quando olhamos os gráficos que cobrem intervalos menores.

Portanto, quando compramos uma ação olhando apenas para um gráfico semanal ou diário podemos até acertar a direção do preço, mas podemos nos assustar depois com o lucro porque poderíamos ter lucrado muito mais aprimorando o ponto de entrada e de saída. Além disso, muitas vezes, depois de uma compra, os preços recuaram um pouco e dão a impressão de que vão cair muito mais e, ai, em desesperos o operador sai antes de aumentar o prejuízo ou diminuir muito o lucro. Esse é caso de muitos que colocam stop nos pontos errados. Faça o alinhamento e dispense os stops impróprios. 

Os suportes e resistências

Repetindo um pouco; um suporte onde deveríamos comprar, e uma resistência, onde devemos vender, são invisíveis em intervalos longos. Estes muitas vezes mostram leves inflexões, mas estas quando vistas nos intervalos menores se transformam em suportes ou resistência. Faça a experiência e veja como esses detalhes são interessantes e importantes para tuas estratégias.

Um Exemplo com Gráficos

Vejam o gráfico semanal das ações das Lojas Americanas. No meado de maio, p.p., a ação dessa empresa iniciou uma tendência de alta. Se você não acertou aquela virada, vai ter que esperar até os meados de agosto para fazer uma compra na baixa, pois nesse ponto ficou claro que houve uma forte queda de preço. Porém, deste ponto em diante, os preços continuaram subindo. Caso você perdeu essa oportunidade também não vai encontrar outra pelo gráfico semanal, mas ao pular para o gráfico diário, como mostra o segundo gráfico, você vai encontrar mais oportunidades que não eram invisíveis  no gráfico de intervalo mais longo, como o semanal.

Quando você muda para um intervalo de dias, as inflexões que se formaram no gráfico semanal se transformaram em pontos úteis para novas jogadas. Depois de comprar no fundo que se formou nos meados de agosto, você poderia esperar para sair em outubro, ou aproveitar os outros dois fundos que se formaram nesse intervalo. Isto é, se não desejar sair quando os preços formam um topo de um  gráfico diário mude de volta para períodos mais longos, com o semanal e, se nesse gráfico, não houver indicação de nenhum fundo e, além disso, mostra continuidade na tendência, fique na jogada. 

O certo é que, se você deseja sair mais cedo e comprar e vender mais vezes, obedeça a tendência semanal, mas mude para um gráfico de períodos menores e opere muitas vezes pois vão surgir mais oportunidades. Use os intervalos longos para identificar a direção geral dos preços, e os intervalos mais curtos para definir com mais precisão os pontos de compra e de venda.

Explicando os dois Gráficos

Note que, desde o meado de agosto até o meado de outubro de 2019, o preço dessa ação, quando visto pelo gráfico semanal, apresentou 3 dobras ou 3 pontos de inflexão, mas não vemos nenhum suporte bom para uma compra. Ao mudar para o gráfico diário, representado pelo segundo gráfico abaixo, onde as inflexões do primeiro se transformam em suporte e resistência. Note que o segundo gráfico mostra apenas a secção com a última inflexão do primeiro gráfico,

Comprar e vender ações com Análise top down

A ajuda do Estocástico

Como dito, quando desdobramos um gráfico semanal noutro com medidas diária os pontos de inflexão, vistos no primeiro gráfico, se transformam em topos ou resistências no segundo gráfico. Os fundos e os topos do segundo gráfico são respectivamente excelentes posições de entradas e saídas. Essas posições são claramente indicadas pelo oscilador estocástico. Os suportes, uma vez confirmados no estocástico, mostram que podemos comprar sem medo de errar. Por outro lado, as resistências que aparecem como topos no estocástico são excelentes pontos de saída.

Aqueles interessados em operar mais vezes podem desdobrar o gráfico diário em gráfico de uma hora. Com essa formação dá pra operar praticamente quase todos os dias com bastante sucesso! Portanto, esse exercício ajuda muito os ansiosos e apressados que desejam negociar com mais frequência no mercado de ações.

Porém, notem que, o que dá mais certeza de ganhos é a tendência vista pelo prisma do gráfico semanal. Como a tendência no gráfico semanal mostra que os preços estão subindo, podemos aproveitar os suportes e as resistências em qualquer período menor que não vamos errar.

“A tendência é sua Amiga”

Assim, como já dizia Charles Dow, the trend is your friend. Não opere contra a tendência, mas use-a para tirar vantagem do mercado e aproveite os recursos gráficos para fazer uma análise simples que não envolve uso de suposições, Tudo se transforma numa questão de tempo. O quando é muito importante e fundamental para o timing de nossas operações. No mercado não existe SE, pois tudo pode acontecer e acontece. O problema é identificar o quando. Aproveite os pontos que têm alta probabilidade de acontecer. Tudo na vida é aleatório mas acontecem ao longo do tempo. Use uma dose de bom senso e aproveite os viés favorecidos pela probabilidade.

Boa sorte e good luck!

Prof-Metafix, Minnesota, 26 de outubro de 2019.

Professor Metafix
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Próximo Post

A Tendência é Nossa Amiga

The trend is your friend (A tendência é sua amiga) alertava Charles Dow no fim do século 19! Nada mudou de lá pra cá; os preços das ações continuam subindo, descendo e formando ondas ou movimentos curtos e longos que ajudam o especulador lucrar no curto e no longo prazo. […]
dicas de investimentos com professor metafixdicas de investimentos com professor metafix