Mercado a Termo, o que é e como funciona

|Danilo Coscioni| 11

O que é mercado a termo, definições, explicações e exemplos. Entenda seus conceitos deste derivativo e veja exemplos práticos de uso

Compartilhe

Mercado a Termo, definição, características, exemplos e estratégias

contrato a termo foi a primeira modalidade de derivativo conhecida pela sociedade. Ainda assim aqueles contratos, ainda primitivos, já apresentavam o conceito básico das negociações a futuro – contrate agora e acerte o pagamento depois.

Atualmente, os contratos a termo são negociados sobre mercadorias, ações, moedas, títulos públicos, dentre outros. 

Dados atualizados diariamente do Saldo a Termo de cada Ação
Listagem diária do Saldo a Termo e Saldo Alugado

Saldo de contratos a Termo e Emprestimo de ações

Definição de Mercado a Termo

Como comprador ou vendedor de um contrato a termo, você se compromete a comprar ou vender certa quantidade de um bem (mercadoria ou ativo financeiro) por um preço fixado, ainda na data de realização do negócio, para liquidação em data futura.

Características operacionais do Mercado a Termo

Negociação: os contratos a termo podem ser encontrados em bolsa, mas são mais comumente negociados no mercado de balcão (contratos bilaterais negociados fora das bolsas).

Ausência de mobilidade de posições: em geral, os contratos a termo são liquidados integralmente no vencimento, portanto não havendo possibilidade de sair da posição antes disso. Assim essa característica impede o repasse do compromisso a outro participante. Em alguns contratos a termo negociados em bolsa, a liquidação da operação a termo pode ser antecipada pela vontade do comprador.

Como funciona o mercado a termo

No mercado a termo compra-se ou vende-se um ativo com vencimento em determinada data futura (mínimo 16 e máximo de 999, dias corridos), por um preço previamente estabelecido em mercado, sresulnado um acordo/contrato entre as partes.

O preço a termo, que é fixado na abertura do negócio, é formado pelo preço à vista mais uma taxa de juros, que varia conforme o prazo da transação.

Formas de Enceramento

  • Por decurso de prazo.
  • Antes do decurso (*)
  • Antecipada
  • Por diferença

(*) os compradores podem solicitar o encerramento antes do decurso, mas isso não alterará o valor do preço a termo.

Garantias

São exigidas de ambos os participantes:

  • Vendedor:
    Cobertura, ou seja, é o depósito da totalidade dos títulos objeto da operação.
  • Comprador:
    Margem, que é o depósito de numerário e/ou ativos autorizados, em um valor estabelecido pela Bovespa/CBLC.

Limite de Posições em Aberto

A CBLC estabelece, para cada ativo objeto, limites máximos de posição com base em um percentual das ações em circulação, no mercado que podem ser detidos, ou por investidor, ou por intermediário, ou pelo mercado como um todo.

Custos de Transação

  • Corretagem / Emolumentos
  • Taxa de Registro

Tributação

MERCADO A TERMO – TRIBUTAÇÃO A PARTIR DE 01/01/2005
FATO GERADOR
Alíquota em %
INCIDÊNCIA
RECOLHIMENTO
Obs.:
Venda (na abertura da Operação)
0,005
Diferença entre Preço a Termo e Preço a Vista na data da Contratação
Fonte
Antecipação (*)
Encerramento
15
Ganho Líquido
Mensal
 
Encerramento da Venda Coberta
22,5 até 6 m
20,0 a 12 m
17,5 até 24 m
15 acima de 24 m
Ganho Líquido
Fonte
 
         
(*) Esse valor poderá ser:
I – deduzido do Imposto sobre Ganhos Líquidos apurados no mês;
II – compensado com o imposto incidente sobre Ganhos Líquidos apurado nos meses subseqüentes;
III – compensado na Declaração de Ajuste se, após as deduções mencionadas em I e II, houver saldo de Imposto retido;
IV – compensação com o imposto devido sobre o Ganho de Capital na alienação de ações.

Estratégia de Atuação no Mercado a Termo

Comprador a Termo

  • Fixação de Preço de Compra
  • Operação Caixa

Vendedor a Termo

  • Aumentar receita
  • Financiar

Fixação do Preço de Compra

  • Operação: CT
  • Expectativa: PV no vencimento > PT
  • Lucro Potencial: PV vencimento – PT
  • Investimento Inicial: Margem
  • Risco Máximo: PT

Exemplo:
PV = 100,00
PT = 101,33
MG = 10%

 
PV
PT
MG
Abertura
100,00
101,33
10,13
Vencimento (VV)
110,00
110,00
 
Lucro
10,00
8,67
 
Retorno sobre Investimento
+ 10 %
 
+ 85,56%

Operação de Caixa

Operação através da qual um investidor vende a vista um lote de ações que possui e compra (no mesmo pregão) o mesmo lote a termo, por exemplo para 30 dias; o custo do financiamento é dado pela diferença entre os preços de compra e venda.

Operação de Financiamento

Operação através da qual um investidor compra a vista um lote de ações e o vende (no mesmo pregão) a termo, por exemplo para 30 dias; a diferença entre os dois preços é a remuneração pelo prazo do financiamento.

Vantagens do Financiado

O financiado por exemplo, uma empresa que necessitou de recursos por 30 dias, não tem que recorrer a Banco, preencher ficha de cadastro, ter avalistas e comprar todo o tipo de serviço, que as instituições bancárias exigem como reciprocidade para obter o empréstimo.
O Financiado realizou uma opera “Caixa” ao vender as ações que tinha em carteira no Mercado à Vista. Recebendo os recursos para atender as suas necessidades de capital de curto prazo e recomprando as mesmas ações no Mercado a Termo, ao final de 30 dias, isto porque, sua intenção não era se desfazer definitivamente das ações da empresa a qual é acionista.

Vantagens do Financiador

Irá receber de volta os recursos aplicados com uma taxa de juros embutida, que remunera o seu Capital.

Fluxo

Preço a Termo=À Vista+Juros  

Termo Fluxo

Exemplo de Financiamento de Termo:

O investidor compra ação à vista, 21/jan por R$ 100,00, no mesmo pregão, as vende a termo (para 30 dias) por R$ 101,11. O vencimento por decurso será em 20/fev.

Termo Fluxo

Taxa Bruta da Operação:

Tx B = [( P Termo / P Vista) – 1] x 100 = [(101,11 / 100,00) – 1 ] X 100 = 1,11%

Taxa Equivalente Mês:

Tx a.m. = {[( Tx B / 100) + 1] (30/DC) } – 1 X 100

Tx a.m. = {[( 1,11 / 100) + 1] (30/27) } – 1 X 100 = 1,24%

Mercado a Termo Flexível

Modalidade de contrato a termo na qual o comprador pode vender a vista as ações lastro da operação – depositadas pelo vendedor como cobertura – sem que isso seja considerado uma liquidação antecipada, e utilizar o produto da venda para adquirir outras ações á vista, que passarão a ser o novo objeto da operação.

Caso o comprador faça uso dessa prerrogativa e efetivamente venda à vista as ações adquiridas a termo, a CBLC irá reter em dinheiro, do produto da venda, o valor equivalente ao compromisso financeiro da operação (quantidade de ações originalmente compradas a termo vezes o preço a termo original). A CBLC permitirá que esses recursos sejam utilizados exclusivamente para adquirir outras ações no mercado a vista, que ficarão retidas como sendo as novas ações objeto da operação.

O prazo máximo atualmente permitido para essa modalidade é de 90 dias corridos.

Exemplo Termo Flaxível

Supondo que o investidor “A” comprou, no termo flexível, 1.000 ações da empresa “KKK” por R$ 105,00 (compromisso financeiro = R$ 150.000,00) em um contrato de 60 dias – vencimento por decurso de prazo em 10/out.

Passados 15 dias o investidor “A” verifica que as ações “KKK” estão sendo negociadas no mercado a vista por R$ 110,00 e resolve alterar sua posição, solicitando que as ações “KKK” sejam vendias à vista. Do produto da venda (R$ 110.000,00), R$ 105.000,00 ficarão retidos na CBLC e R$ 5.000,00 serão liberados para o investidor “A”.

O investidor “A” poderá utilizar, até V-10 da data de vencimento original (10/out), esses R$ 105.000,00 para comprar as ações de outra empresa no mercado a vista, pois elas ficarão depositadas como cobertura em substituição às anteriores e passarão a ser as novas ações-objeto do contrato.

Essa possibilidade de substituição é prevista no contrato (e pode, inclusive, ser efetuada mais de uma vez), não sendo considerada antecipação do vencimento, que ocorrerá na data originalmente pactuada (10/out, em nosso exemplo) e, além disso, não alterará o valor do compromisso financeiro da operação.

Exemplo de taxas negociadas nos termos na B3

taxas mercado a termo
Taxas negociadas conforme Boletim Diário de Informações – BDI da B3

Participação dos principais ativos em operações a termo

principais acoes mercado a termo
Exemplos dos termos mais negociados na B3
detalhes mercado a termo
Detalhes do BDI sobre as negociações

Aplicações do Mercado a Termos

Para que você possa entender as aplicações e as funcionalidades do mercado a termo, utiliza-se o exemplo de um cafeicultor e de um torrefador de café.

Exemplo: Imagine a situação do cafeicultor ainda no início da produção. Ele não tem nenhuma garantia do preço que poderá ser praticado ao final da safra. Assim sendo examine duas hipóteses possíveis:

– Hipótese A: as condições climáticas favoreceram muito o cultivo de café. Além disso, houve superprodução no período. O excesso de oferta levará à queda acentuada de preços de venda, reduzindo a margem de lucro do produtor. Algumas vezes, o valor de venda é insuficiente para cobrir os custos de produção. Nesse caso, o produtor pode preferir destruir o café a colocá-lo no mercado, pois minimizará seus custos com armazenagem e transporte e, ao mesmo tempo, conterá a pressão da oferta;

– Hipótese B: registrou-se a ocorrência de pragas, geadas ou outras intempéries que dificultaram o cultivo de café, provocando a escassez da mercadoria. Nesse caso, haverá alta nos preços do café e o produtor conseguirá vender sua produção por preço mais elevado do que imaginava anteriormente.

Análise das Hipóteses

Imagine agora a situação em que o torrefador: compra o café do produtor e o vende ao consumidor final. Ele também não sabe por qual preço poderá negociar o café no final da safra, pois, no caso da hipótese B, os preços podem elevar-se drasticamente e atingir nível superior ao que sua atividade lhe permite.

Você já percebeu que, nesse exemplo, o cafeicultor correrá o risco de queda acentuada nos preços, enquanto o torrefador correrá o risco de alta nos preços do café no mercado a vista.

Enquanto o comprador (torrefador) corre o risco de alta acentuada nos preços. Ao passo que o vendedor (cafeicultor) corre o risco de queda acentuada nos preços.

Exemplo prático

Agora que você já entendeu a natureza do risco de cada participante do exemplo, vamos ver uma outra operação só para exemplificar uma maneira de eliminar os riscos associados às atividades de cada um.

Contudo para eliminar os riscos de variações adversas de preço, o cafeicultor e o torrefador podem realizar uma operação a termo, tendo como base os pressupostos do exemplo a seguir.

Primeiramente suponha que, pelo preço de R$100,00/saca de 60kg, o cafeicultor consiga pagar todos os custos de produção e ainda obter lucro razoável em sua atividade.

Posteriormente considere também que R$100,00 seja o preço máximo que o torrefador poderá pagar para auferir lucro e não ter prejuízo em sua atividade. Ou seja, para ambos, R$100,00 é um preço de negociação razoável. Por fim, eles poderão firmar um compromisso de compra e venda, em que o produtor se compromete a vender o café por esse preço no final da safra e o torrefador se compromete a adquiri-lo pelo mesmo preço na data predeterminada.

Observe ainda que, independentemente do resultado da safra e dos preços estabelecidos no mercado a vista no período da entrega, ambos terão seus preços de compra e de venda travados em R$100,00/saca.

Resultados da operação

Hipótese A: safra recorde e conseqüente queda nos preços.

Suponha que o preço estabelecido no final da safra seja de R$90,00/saca. O produtor obterá êxito nessa operação, pois conseguirá vender sua produção por R$100,00, preço superior ao estabelecido pelo mercado (R$90,00). Os custos de produção serão cobertos e a lucratividade, garantida.

O torrefador pagará preço mais alto do que o estabelecido pelo mercado a vista, mas que ainda lhe convém, posto que R$100,00 é preço que considera razoável para sua atividade.

Hipótese B: escassez de café no mercado e conseqüente alta nos preços.

Suponha que o preço estabelecido pelo mercado a vista no final da safra seja de R$120,00/saca.

Nesse caso, quem obterá êxito será o torrefador, que comprará por R$100,00 uma mercadoria cujo valor de mercado é de R$120,00. O produtor venderá a mercadoria ao torrefador por preço inferior ao estabelecido pelo mercado, mas que cobre todos os seus custos de produção e garante lucratividade razoável para sua atividade.

Conclusão do Mercado a Termo

Portanto, tanto para o comprador como para o vendedor no mercado a termo e em ambas as situações (alta ou queda de preços), o prejuízo não será visto propriamente como prejuízo e, sim, como algo que se deixou de ganhar, como um prêmio de seguro.

No exemplo, pelo preço de R$100,00/saca, o cafeicultor e o torrefador tinham seus custos cobertos e a lucratividade garantida.

Quando o participante entra no mercado com a finalidade de obter proteção, abre mão de possível ganho para não incorrer em prejuízo efetivo.

Os participantes do mercado preferem os contratos futuros, dadas algumas dificuldades apresentadas pelos contratos a termo, dentre elas:

– impossibilidade de recompra e revenda. Os contratos a termo não oferecem a possibilidade de intercambialidade de posições, isto é, nenhuma das partes consegue encerrar sua posição antes da data de liquidação, repassando seu compromisso a outro participante;

– risco de inadimplência e de não cumprimento do contrato. Os contratos a termo exigem garantias mais altas do que as que são exigidas para os futuros.

No sentido de aprimorar os negócios para liquidação futura e sanar os problemas mencionados, surgiu o mercado futuro, cuja funcionalidade é explicada também aqui na seção de aprendizado.

Aprenda mais sobre Derivativos

Danilo Coscioni
Últimos posts por Danilo Coscioni (exibir todos)
Compartilhe

11 comentaram sobre “Mercado a Termo, o que é e como funciona

  1. Já disse, gostei muito, excelente, o autor deste artigo deveria, com o mesmo objetivo e lucidez, colocar sua facilidade de expressão mostrando de maneira simplificada, como operar “opções”(bolsa de valores). Obrigado por poder comentar.

  2. Parabéns a quem escreveu esse artigo. Conciso, coerente e de fácil compreensão, sem dúvidas a melhor explicação para Mercado a Termo que eu li na internet.

  3. Boa exposição, usando linguagem menos técnica fica mais fácio o entendimento, principalmente para o aprendiz iniciante n/matéria que por sinal, não é lá muito fácil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Próximo Post

O que é Mercado Futuro

Série: Curso sobre Derivativos e Mercado Futuro: O que é Mercado Futuro

NULLNULL