Exemplo de Hedge com opção de compra : análise técnica, como investir na bolsa de valores (Bovespa)

Exemplo de Hedge com opção de compra

Exemplo de Hedge com opção de compra (call)

Imagine um importador com a dívida em dólares de US$500.000,00 para o prazo de três meses. Acompanhando a projeção da cotação do dólar, tem receio de que haja alta na moeda norte-americana. Decide, então, fazer uma operação de hedge com opções de dólar. Portanto, caso haja exercício da opção, fixará o valor de sua dívida em dólares no nível de R$2,31/US$1,00. No mercado, ele encontra uma opção de compra (call) com preço de exercício de R$2.200,00/US$1.000,00 e prêmio de R$110,00/US$1.000,00.

Observação: os contratos de opções de dólar da BM&F são cotados em reais por US$1.000,00. Logo, as cotações devem ser lidas da seguinte forma:
R$2.200,00/US$1.000,00 = R$2,20/US$1,00
R$110,00/US$1.000,00 = R$0,11/US$1,00

Montagem da operação

Primeiro passo: entender seus propósitos, conforme segue.

a) Qual é a dívida do importador?

US$500.000,00.
b) A qual o risco o importador está exposto?
Alta da moeda norte-americana diante do real.

c) Qual foi a decisão do hedger?
Comprar opções de compra (call) com o preço de exercício de R$2,20. Em outras palavras, o importador está disposto a adquirir um seguro que lhe permita fixar o preço da taxa de câmbio em nível confortável.

d) Por que escolheu esse preço de exercício?
O preço de exercício de R$2,20 foi escolhido porque, somado ao prêmio da opção, alcança R$2,31/US$1,00. Este é o máximo que o importador quer desembolsar em reais para comprar dólares.

e) Quantos contratos são necessários para o hedge?
Número de contratos = dívida/50.000,00 = 10 contratos (US$50.000,00 é o tamanho do contrato-padrão negociado na BM&F.)

Segundo passo: visualizar o resultado da operação.

Despesa da operação (gasto com o prêmio):
Valor de liquidação do prêmio = valor do prêmio × número de contratos × U$50.000
VLP = R$110,00/US$1.000,00 × 10 × 50.000 = R$55.000,00

Mercado a vista
Valor da dívida × cotação do dólar ao final de três meses
500.000,00 × 2,70 = –R$1.350.000,00

Preço máximo pago pelo importador
Dívida × cotação do dólar + prêmio
500.000 × (2,20 + 0,11) = R$1.155.000,00

Operação com opções
10 × [2.700,00 – (2.200,00 + 110,00)] × 50 = R$195.000,00

Resultado do hedge
Mercado a vista + operações com opções = preço máximo pago pelo importador
–1.350.000,00 + 195.000,00 = R$1.155.000,00

O resultado acima reflete exatamente o desejo do importador de fixar o preço máximo de R$2,31/US$ para a compra de dólares.

Na operação com opção de compra (call), o comprador adquiriu um seguro para se proteger de eventual elevação no valor da moeda norte-americana perante o real. No exemplo, a cotação alcançou R$2,70/US$1,00, o seguro foi acionado e o importador, via mercado de derivativos, fixou o valor em reais de sua operação comercial. Caso o exercício não ocorresse, o importador teria despendido apenas o prêmio da opção.

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Sua mensagem (opcional):
Nome: Seu Email: (não será Publicado)
Site: (opcional)
Nofiticar por e-mail novos comentários neste tópico.

 
Publicidade

Sabemos que o problema da maioria das economias é o nível de endividamento. Enquanto esse problema não for equacionado, as economias não crescerão num ritmo suficiente para criar novos empregos. Até agora a China era considerada uma ilha de exceção. Entretanto, algumas notícias revelam um quadro um pouco preocupante. Os jornais noticiam uma crise de crédito...

Quem nunca se enganou lendo gráficos de ações ou de outros ativos financeiros, levante as mãos! Enganamo-nos pelo desejo de encurtar caminho. Esse comportamento faz parte da luta inexorável para melhorar a vida o mais rápido possível, mas cometemos erros. A tentativa dos grafistas para inventar padrões gráficos em busca de significados diferentes faz parte dessa...

Publico este de modo que possa ser útil a quem quiser saber mais sobre o tema. O assunto é complexo, mas vou tentar colocar de forma breve, mas extensiva a todos interessados.

Relutamos na hora de escolher uma ação porque existe um conflito mental e natural entre o útil (necessidade) e o agradável (o prazer). O cerne da solução é conciliar os desejos emocionais de tal modo que não contrariem a racionalidade financeira...

Quem opera o mercado financeiro e usa gráficos para analisar ativos, sabe como é frustrante determinar a direção dos preços. A confusão emana do desejo de examinar os gráficos em diferentes períodos. Sabemos que um gráfico visto com velas de um determinado tempo, pode indicar uma direção diferente daquela com velas de outro período...