Fundo Duplo Ações Opções Análise Técnica Investimentos Bovespa: InvestMax : análise técnica, como investir na bolsa de valores (Bovespa)

Fundo Duplo ou W

Como analisar essa formação gráfica da análise técnica - (curso de análise gráfica)

É tipicamente formada por 2 mínimos (A e B) intercalados por um máximo (C) seguidos do rompimento da linha de resistência. Geralmente, este padrão marca a transição da passagem de um período bearish para um período bullish.

Clique na imagem para Ampliar
fundo duplo, suporte, padrao grafico, formação grafica, analise tecnica, açoes, como analisar

Em termos de elementos que compõem este gráfico padrão temos o seguinte:

Tendência: este padrão gráfico é um padrão de inversão de tendência pelo que deverá existir uma tendência prévia que deverá ser invertida. No caso do gráfico acima descrito, existia uma tendência de baixa antes de se começar a formar o fundo duplo.

Primeiro mínimo (A): esta formação é reconhecida pela existência de dois mínimos relativos. Em particular, o primeiro mínimo é a cotação mais baixa do período bearish.

Máximo entre os mínimos (C): entre os dois mínimos ocorre um máximo que poderá ter uma cotação superior em 10% ao valor dos mínimos. O volume geralmente aumenta em torno do máximo, mas revela-se inconsistente para que ocorra um ponto de fuga pelo que a cotação volta a cair.

Segundo mínimo (B): o segundo mínimo deverá ter uma cotação semelhante à do primeiro ainda que se admita que haja uma ligeira diferença em torno dos 3%.

Alta após o segundo mínimo: após o segundo mínimo assiste-se a uma alta da cotação do título que é reforçada por um aumento do volume. Nessa situação, a quebra da linha de resistência deverá estar eminente com os bulls a exercerem uma pressão compradora que os bears não conseguem anular. É usual que ocorra um ou dois gaps.

Linha de resistência torna-se linha de suporte: após o rompimento da linha de resistência é usual que a mesma se torne na linha de suporte.

Um analista, para avaliar corretamente esta formação deverá ter em mente os seguintes pontos:

a. Os mínimos devem estar separados por cerca de um mês. Se forem muito próximos podem apenas ser parte de uma linha de suporte

b. O valor máximo entre os dois mínimos deve ter uma cotação pelo menos 10% superior ao valor dos mínimos. Caso isso não ocorra, a pressão compradora poderá não estar a aumentar por forma a que ocorra o rompimento da resistência.

c. Distinguir os falsos ponto de fugas do ponto de fuga verdadeiro: poderá acontecer um primeiro rompimento da linha de resistência sem que isso signifique que se deu uma inversão de tendência na cotação do título.

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Sua mensagem (opcional):
Nome: Seu Email: (não será Publicado)
Site: (opcional)
Nofiticar por e-mail novos comentários neste tópico.

 
Publicidade

Há uma grande discussão nas universidades que já perdura por algum tempo sobre a racionalidade e a eficiência dos mercados. Os temas são complexos e importantes para quem deseja investir e quer saber se o preço de uma determinada ação está alto ou está baixo...

Todos os dia alguém me pergunta se as ações vão subir ou vão cair? Tenho duas respostas para esse tipo de pergunta: uma é irônica, a outra é muito séria. Esta deveria ser a única mas, ai não teria graça! Ninguém quer errar, mesmo quando se antecipa os fatos. Eu também não quero e antecipo os acontecimentos com uma profecia infalível...

Aproveito a oportunidade para esclarecer que o alinhamento automático serve pra mostrar com mais clareza a direção do mercado...

Considero o alinhamento automático a forma mais segura para entender o movimento dos preços das ações. No último artigo desta série prometi que usaria alguns gráficos para ilustrar essa metodologia. Alinhando os movimentos com os gráficos, podemos eliminar as contradições que muitas vezes ocorrem entre os movimentos de preços de períodos diferentes e enganam o operador.

A Bovespa divulga em seu site a volatilidade histórica dos ativos. Entretanto, para facilitar, criamos esta tabela onde é apresentada a volatilidade histórica dos principais ativos, de forma a permitir as comparações entre respectivos períodos e ativos.